Falando em Série: O INCRÍVEL HULK (The Incredible Hulk) 1977


Neste Falando em Série vamos esmiuçar um pouco um dos mais marcantes seríados da TV nos anos 80: O Incrível Hulk! Semanalmente, tinhamos David Banner (Bill Bixby) em sua eterna fuga passando pelos mais variados percalços em busca da cura para o livrar do monstro dentro de si. A série frequentemente tinha episódios emocionantes em que David se esquecia dos próprios problemas e partia para ajudar as pessoas que cruzavam seu caminho. Algo também digno de destaque é lembrar que em vários episódios foram abordados temas como: dependencia quimica (Alcool e drogas), marginalidade nos guetos, preconceito racial e diversos outros assuntos que jamais apareceriam em uma série ou filme de heróis convencional, pelo menos não com a seriedade e responsabilidade abordadas na série.

A série durou 5 temporadas e teve 79 episódios, nada mal para uma produção de classificação livre da CBS. Após encerramento, ainda foram feitos 3 telefilmes (que costumam ser contados como episódios da série): “A Volta do Incrível Hulk – 1988”, “O Julgamento do Incrível Hulk – 1989” e “A Morte do Incrível Hulk – 1990”.




SINOPSE: O Dr. David Banner (Bill Bixby) é um brilhante cientista. Certo dia, um experimento em que ele está trabalhando sai terrivelmente errado, e o deixa com sérias consequências: sempre que ele está sob muito estresse, seu corpo se modifica e ele se transforma n'O Incrível Hulk (Lou Ferrigno), um monstro alto, musculoso e de pele verde. Acusado por um crime que não cometeu, dado como morto, viaja pelas estradas sempre em busca da cura. Infelizmente, o obsessivo repórter Jack McGee (Jack Colvin) persegue o atormentado doutor em todos os lugares, impedindo-o de encontrar a paz que tanto almeja.

No Brasil a série foi exibida pela Rede Globo a partir do dia 25 de janeiro de 1978, sendo levada ao ar no horário nobre. Permaneceu na Globo ocupando horários variados até 1982 quando então começou a fazer parte da Sessão Aventura e tinha sua exibição nas terças-feiras à tarde. Permaneceu na Globo até 1986.
Entre os anos de 1989 e 1990, começou a ser exibido na TV Manchete às 16h e anos mais tarde esteve no canal por assinatura USA e no extinto canal Rede 21. Sua última exibição no Brasil aconteceu do canal Rede Brasil.


O PERSONAGEM: O HULK, ou O Incrível Hulk é um super herói de quadrinhos/da Marvel Comics criado pelo roteirista Stan Lee (1922-2018) e pelo desenhista Jack Kirby (1917-1994). o gigante esmeralda teve sua primeira aparição na revista The Incredible Hulk n°1, lançada no mercado americano em maio de 1962. A partir de então, o Hulk tem aparecido, protagonizando ou não, diversas histórias da editora, se tornando um dos mais ao longo das últimas décadas.

Baseado em “O Médico e o Monstro” e “Frankenstein”, a história do Hulk começa quando o físico nuclear Bruce Banner vai testar sua Bomba Gama para o Exército. Quando um jovem desavisado, Rick Jones, entra na área de destes, o bom doutor corre em sua direção para salvá-lo. Jogando o garoto numa vala, Banner é atingido pela explosão gama. Milagrosamente, sobrevive aparentemente ileso. Mais tarde, naquela noite, a radiação o transforma numa criatura imensa e violenta. Essa origem, publicada no n° 1, descaradamente copiada do filme “The amazing colossal man”, de 1957.


Graças ao sucesso alcançado pelo personagem Hulk nos quadrinhos, o produtor da Universal Television, Frank Price, apresentou ao roteirista Kenneth Johnson um contrato para ele criar uma série de televisão baseado no personagem Hulk que ele acabara de adquirir os direitos. A série que apesar de ser de um "super herói", tinha por gênero: drama,ação e ficção foi exibida nos EUA de 10 de março de 1978 á 12 de maio de 1982. Hoje em dia o seriado ganhou status de "Cult" por uma legião de fãs nostálgicos que nem mesmo diante dos "defeitos especiais" da época conseguem apagar da memória a marcante carga dramática dos episódios. 


CURIOSIDADES:
  • O nome do protagonista não era Bruce Banner como nos quadrinhos, mas David Banner. 
  • O sobrenome também mudou inúmeras vezes ao longo da série - (como forma do cientista manter seu disfarce) - Bannet, Belson, Bannon, etc. Supostamente, a produção do seriado optou (entre outros motivos) por David para estabelecer uma ponte com a história bíblica de Davi e Golias, uma analogia entre a relação conflituosa entre o cientista e seu alter ego.
  • Embora, Lou Ferrigno aparecesse no máximo15 minutos por episódio, sua maquiagem demorava cerca de três horas.
  • Antes de interpretar o HULK, Lou Ferrigno foi personagem de um documentário sobre a competição de fisiculturismo do Mr. Olympia de 1975 - onde ele enfrentava ninguém menos que  Arnold Schwarzenegger, a estrela da produção. Chamado O Homem dos Músculos de Aço, é uma das mais célebres produções sobre o mundo do fisiculturismo já feitas. O documentário termina com Ferrigno em terceiro lugar e Schwarzenegger em primeiro, encerrando sua carreira como fisiculturista profissional - a segunda colocação ficou para Serge Nubret.
  • Alguns nomes foram cogitados para o papel do Gigante Esmeralda. Até o próprio Arnold Schwarzenegger foi contatado, mas alguns produtores o consideraram muito baixo para o papel.
  • A música tema "The Lonely Man Theme" com a qual todos os episódios sempre terminavam (com Banner partindo em mais uma estrada solitária) foi composta por Joe Harnell, que morreu em 2005 aos 80 anos. Entre 1967 a 1973, trabalhou como diretor musical do The Mike Douglas Show. Em 1973, Harnell mudou-se para Hollywood e trabalhou em partituras e composições de televisão, compondo para “A Mulher Biônica” e para “O Incrível Hulk”. 
  • No 9º episódio da 1ª temporada (Never Give a Trucker an Even Break), temos inúmeras cenas de perseguição extraídas do suspense Encurralado (Duel), de Steven Spielberg. O motivo disso foi que tanto o filme, quanto a série da CBS eram produções do mesmo mesmo estúdio, ou seja a Universal. O episódio da série segue basicamente o mesmo script do longa de Spielberg, com a diferença que o motorista vira um monstro verde. Até a cor da camisa usada por Bill Bixby segue o mesmo esquema de cores do filme, para não ficar com aparência de erros de continuidade. Uma cena marcante neste episódio é quando ele na cabine telefônica tenta ligar para a polícia e acabam as fichas, então a telefonista pergunta: "você tem mais 25 centavos?" e ele já ficando verde e com os olhos brancos responde "eu não tenho 25 centavos!!!"
  • Bill Bixby esteve em todos os episódios da série, e por isso ficou marcado para sempre como o Dr. Banner. Durante os anos que passou atuando na série teve alguns problemas pessoais, tendo se divorciado da mulher, a atriz Brenda Benet. Brigou com ela pela guarda do filho Christopher, que acabou morrendo de uma doença rara em 1981. Benet não se recuperou da morte do filho, e se suicidou em 1982. Bixby nunca conseguiu projeção como ator fora do papel que o marcou. A série O Incrível Hulk durou de 1978 a 1982, seguindo o piloto que foi ao ar em 1977. Trabalhou em outras produções para a TV, notadamente como diretor. Morreu de câncer de próstata em 1993
  • Quando Banner estava se transformando em Hulk, podíamos ver as várias etapas da transformação, criando um ser intermediário, um semi-Hulk. Na maioria das vezes, o semi-Hulk era interpretado por Bixby, com maquiagem para torná-lo parecido com o monstro, ou por Ferrigno, com maquiagem que o deixava mais próximo do doutor Banner. Em alguns episódios, no entanto, foi usado um outro fisiculturista, chamado Ric Drasin, para interpretar o semi-Hulk. Drasin ainda faz eventuais serviços como ator.
  • Vários atores conceituados na televisão, como Pat Morita (Karate Kid); Morgan Woodward (Star Trek) e Gary Graham (Alien Nation), também fizeram suas participações.
  • Depois dos longas sequênciais da série de TV, já foram produzidos outros dois longas para o cinema. Em ambos, utilizou-se um Hulk produzido em computação gráfica, e para o Dr. Banner pelos atores : Eric Bana no primeiro filme (2003) e Edward Norton no segundo (2008). Lou Ferrigno, por sua vez, retornou nestas duas produções, fazendo pontas como guarda de segurança e emprestando a voz à criatura do último filme. De 2012 pra cá, Mark Ruffalo é o Dr. Banner e tem sido visto em sua participação nas sequências de filmes dos "Vingadores”.


BÔNUS: Links Google Drive para baixar ou assistir.

                                    FILMES

                              ANIMAÇÕES

Então junte-se a nós! Curta nosso blognossa página e nosso grupo
Junte-se a família "Memória Magazine", inteiramente dedicada a relembrar coisas boas e curiosas do passado. Ajudando alguns a reviverem boas lembranças e outros a conhecer a origem do que se vê hoje nos quadrinhos, nas animações e nos filmes.. 


4 comentários:

  1. Tinha a música mais triste de todos os tempos....hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "The Lonely Man Theme" com a qual todos os episódios sempre terminavam (com Banner partindo em mais uma estrada solitária) foi composta por Joe Harnell

      Excluir

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.