LENDAS DE HOLLYWOOD | Charles Chaplin (1889 - 1977)

 


Desta vez o LENDAS DE HOLLYWOOD trás uma das estrelas primordiais do cinema, o inesquecível Charles Chaplin, também conhecido por seu personagem "Carlitos". Chaplin foi diretor, produtor, dançarino, além de ator. Considerado como um dos mais importantes comediantes da história do cinema mundial. Por suas contribuições ganhou um Oscar Honorário, em 1972. Na ocasião, ele recebeu o mais longo aplauso da história da premiação, com uma duração total de doze minutos. Conheça a história do homem por trás do personagem. Boa Leitura!

Charles Chaplin (Sir Charles Spencer Chaplin) nasceu no final do século XIX, filho de artistas divorciados (Charles e Hannah), Chaplin frequentava o teatro desde pequeno, quando acompanhava sua mãe na busca de se reerguer profissionalmente. Foi nessa época, aos cinco anos, que começou a cantar músicas populares nos palcos.

Com problemas de laringe e após ser vaiada em uma performance, Hannah teve problemas de insanidade e foi internada em um asilo. Chaplin e seu irmão passaram por vários abrigos de caridade e moraram com seu pai alcoólatra até a data de sua morte.

Passou a integrar a Trupe Karno, e fez turnês nos EUA. Lá conheceu Mack Sennett, que o convidou para trabalhar em seus estúdios. Apresentando dificuldades com a atuação cinematográfica, sua estreia no curta Carlitos Repórter (1914) deixou Sennett um pouco decepcionado. 

Ele teve uma segunda chance, e desta obteve sucesso, o que se repetiria em quase todos os filmes posteriores, se tornando uma das maiores estrelas dos estúdios Keystone. Foi lá, também, que criou seu personagem da fama absoluta: Carlitos, o Vagabundo. Logo após passou a dirigir e redigir seus próprios filmes. Chaplin estrelou 35 filmes, aparecendo como o Vagabundo em quase todos. Em novembro de 1914, deixou a Keystone e integrou a Essanay, onde fez outros 15 curtas.


Charles Chaplin (Sir Charles Spencer Chaplin) é considerado uma das PRINCIPAIS estrelas dos primórdios de Hollywood (entenda-se: história do Cinema). Ícone da era do cinema mudo, seu personagem CARLITOS, caracterizado como um pequeno homem com bigode e chapéu-coco, bengala de bambu, calças largas, casaco apertado, sapatos enormes e um caminhar próprio. Todos os itens cuidadosamente escolhidos para não combinarem entre si. Sem fazer uso de palavras (Lembra? Cinema MUDO), usando apenas gestos exagerados e engraçados, assim era Carlitos, um sensível vagabundo, rápido para encontrar soluções e se livrar das mais diversas confusões em que se metia.

O público viu CARLITOS pela primeira vez no filme Corrida de Automóveis Para Meninos, de apenas 11 minutos, lançado no dia 7 de fevereiro de 1914. 


Em 1916, assinou na Mutual e fez mais 12 filmes. Em junho de 1917, assinou com a First National Studios e, após, ergueu a Chaplin Studios. Em 1919, ele e Douglas Fairbanks, Mary Pickford e DW Griffith fundaram a United Artists (UA). 

Entre 1914 e 1920, escreveu, dirigiu e estrelou dezenas de curtas. Sua estreia em longa-metragem, no entanto, se deu com O Garoto (1921). Sempre com posicionamento político esquerdista e com sua vida pessoal um tanto quanto perturbada, volta e meia se via em alguns escândalos.

Em 23 de outubro de 1918, Chaplin casou-se aos 28 anos de idade com Mildred Harris, que tinha então 16 anos. Tiveram um filho nascido deformado, que morreu três dias após o nascimento. Divorciaram-se em 1920 por conta de tudo que sofreram pelo filho.

Mais tarde, Chaplin namorou por anos Peggy Hopkins Joyce. O namoro que teve com Joyce inspirou Chaplin a fazer o filme Uma mulher de Paris. Aos 35 e sozinho, apaixonou-se por Lita Grey, que tinha apenas 16 anos, durante as preparações de Em Busca do Ouro. Mesmo ela sendo muito jovem, casaram-se em 26/11/1924 no México, quando ela ficou grávida. 

Tiveram dois filhos, Charles Chaplin Júnior e Sydney. Divorciaram-se em 1926, por causa de brigas. Nessa época a fortuna de Chaplin chegou a incríveis 825.000 dólares.

Passado os anos, Chaplin casou-se secretamente aos 47 anos com Paulette Goddard, de 25 anos, em Junho de 1936. Depois de alguns anos felizes, este casamento também terminou em divórcio, em 1942, devido a problemas conjugais.


Após a separação, Chaplin namorou Joan Barry, atriz de 22 anos. Esta relação durou anos e terminou quando Barry começou a perturbá-lo, pois ele não a quis mais e ela constantemente perseguia-o com ciúmes. 

Em Maio de 1943, ela informou a Chaplin que estava grávida e exigiu que ele assumisse a paternidade. Ele tinha certeza que não era o pai, pois ela teve outros namorados durante a separação. Então, exames comprovaram que Chaplin não era o pai, porém na época, os exames não eram muito válidos e a lei exigia que, por ele ter sido o último parceiro com quem ela apareceu em público, a lei entendia que mesmo ele não sendo o pai biológico, teria que assumir a paternidade, mesmo sem ser no cartório, e ele foi obrigado a custear as despesas da criança e se viu forçado a pagar 75 dólares por semana até que o filho completasse 21 anos. 

Tempos depois, conheceu Oona O'Neill, filha do dramaturgo Eugene O'Neill. Se apaixonaram rapidamente e casaram-se em 16/06/1943. Ele tinha 54 anos enquanto ela somente 18, mas a enorme diferença de idade não influenciou o bom relacionamento. Este casamento foi longo e feliz. 

Oona, mesmo sendo ainda muito jovem, deu 08 filhos a Charlie, o que o deixou em completa felicidade. O amor era tão grande que Charlie ficou com ela até sua morte, e Oona cuidou dele no fim de sua vida. Os dois estão sepultados um ao lado do outro em um cemitério na Suíça.

Charles, teve 11 filhos, casou-se 4 vezes, recebeu 2 Oscars.


Chaplin ficou conhecido por sua versatilidade nas artes, sendo que em filmes como: O Garoto, Luzes da Cidade, Tempos Modernos e Luzes da Ribalta , ele se desdobrou em ser: diretor, produtor, financiador, roteirista, músico, cinematógrafo, ator, cineasta, empresário, escritor, poeta, dançarino, coreógrafo, humorista, mímico e regente de orquestra.

Chaplin morreu dormindo aos 88 anos de idade em consequência de um derrame cerebral, no Dia 25/12/1977 em Corsier-Sur-Vevey, Vaud, Suíça.


CHARLES CHAPLIN NOS DEIXOU 4 DECLARAÇÕES:

1 ... Nada é eterno neste
mundo, nem mesmo nossos problemas.
2 ...Gosto de andar na chuva, para que ninguém veja minhas lágrimas.
3 ... O dia mais desperdiçado da vida é o dia em que não rimos.
4 ... Os seis melhores médicos do mundo ...
   1. Sol,
   2. Descanso,
   3. Exercício,
   4. Dieta,
   5. Autoestima
   6. Amigos.
Se você ver a lua, verá a beleza de Deus.
Se você ver o sol, verá o poder de Deus.
Se você se olhar no espelho, verá a melhor criação de Deus.

Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.
                                                                            Salmo 19.1


Gostou desta postagem???

Então junte-se a nós! Siga o nosso blog e junte-se a nós em nosso grupo no Facebook. 
Faça parte da família "Memória Magazine", inteiramente dedicada a relembrar coisas boas e curiosas do passado. Ajudando alguns a reviverem boas lembranças e outros a conhecer a origem do que se vê hoje nos quadrinhos, nas animações e nos filmes...

Talvez se interesse por estas outras postagens:

Nenhum comentário

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.