Dossiê Especial: LÁGRIMAS DE UM SUPER HOMEM

Recentemente, consultando um site sobre quadrinhos, acabei esbarrando com um artigo escrito por um certo Brian Cronin. O artigo fazia parte de uma série intitulada: "Para Citar Uma Frase". A ideia é destacar uma frase memorável dos quadrinhos e explicar seu contexto e o que nos mostra sobre o personagem ou personagens...

A frase em questão era: "Supergirl, esta no passado". Dita assim, não tem o menor significado, certo? Mas, quando explicarmos o contexto, veremos que significa muita coisa e mostra algo importante sobre o Super Homem...

Assim que terminei de ler a matéria, lembrei de uma postagem no facebook com a qual me deparei pelo menos duas vezes. O autor destaca a humanidade que existe em Super Homem, apesar de alienígena. Para isto ele usa uma cena do filme "Superman II - A Aventura Continua" de 1981.

É a cena final do filme quando Super Homem, travestido de Clark Kent, vai até uma lanchonete de beira de estrada. Seu objetivo é encontrar um caminhoneiro valentão que o humilhou (na verdade, espancou...) no inicio do filme, quando estava sem poderes. 

Com seus poderes recuperados é a vez de Super Homem humilhar o cara. Não de uma forma violenta, mas em uma cena quase 'pastelão'. Não há duvida que esta cena mostra humanidade no Super Homem, porém o que há de pior nela: o desejo de vingança, de 'dar o troco', de 'pagar na mesma moeda', de 'sair por cima'...

Assim, o texto de Brian acaba deixando claro que nos quadrinhos, a humanidade de Super Homem é demonstrada de uma forma bem melhor e até mais poética...

"Supergirl, esta no passado."


A história em que a frase é dita, foi escrita por Alan Moore e na ocasião as revistas da linha estavam para ser 'reiniciadas' por John Byrne, ou seja: as histórias anteriores seriam apagadas da continuidade. Assim Moore resolveu fazer uma 'história final' do Super Homem. Ela é narrada por Lois Lane em uma época futura...

O título é: "O Que Aconteceu ao Homem do Amanhã", era a revista "Superman # 423" (posteriormente relançada na revista "Action Comics # 583")...


O mais interessante, é que nesta história Moore faz referências a quase tudo do universo Superman até aquele momento, o que torna a situação do uso da frase ainda mais marcante. O acontecimento na história remete diretamente a um dos momentos mais icônicos das histórias do Superman e cuja imagem esta marcada na mente de seus fãs...


ESTE é um momento que mostra toda humanidade em Super Homem. O sentimento de impotência ao não poder mudar o que aconteceu. Nada de girar em sentido contrário a rotação da Terra, para fazer o tempo voltar! Apenas a dor de perder uma ´pessoa que amava, como qualquer ser humano...

O que nos leva a revista "Superman # 423" e a frase que citamos. Como já dissemos trata-se de uma 'história final' do super herói, sua identidade foi descoberta por seus inimigos e eles fizeram de seus amigos seus alvos. Super Homem os leva para a Fortaleza da Solidão e seus inimigos estão do lado de fora, prontos para entrar a qualquer momento...

É quanto surge inesperadamente a Legião dos Super-Heróis e com uma grande surpresa! Uma Kara mais jovem esta com eles! Pois, assim como Superboy fez parte da Legião, também Supergirl fazia...antes dos acontecimentos de Crise nas Infinitas Terras...


Podemos imaginar então o que sentiu o Homem de Aço, ao ver viva sua prima, aquela que havia morrido em seus braços um ano antes (não exatamente aquela, uma versão mais jovem...). O Super consegue se controlar e Brainiac o chama para uma conversa particular...

Super Homem aproveita para questionar porque eles trouxeram Kara se eles sabiam que ela havia morrido durante a Crise. Brainiac explica que ela insistiu e que seu motivo de estar ali, era dar uma lembrança a Super Homem. O Super o questiona por que ele escolheu justamente aquele dia e percebe na resposta que estava próximo de seu próprio fim...


Neste momento, Kara se aproxima e lhe pergunta onde esta sua versão mais velha, pois elas não podem se encontrar sem afetar o continuum...E é neste momento que Super Homem lhe responde: "Neste momento, Supergirl...Supergirl esta no passado"...


Agora temos condições de entender tudo que esta contextualizado na frase simples do Super Homem. Mesmo devastado por ver ali em sua frente, cheia de vida e sem saber de seu trágico destino, a pessoa que ele sabe que esta morta, ele controla suas emoções. 

Ele poderia ter-lhe contado, mudando os acontecimentos e trazendo para si alguma satisfação, mas ele pensou no que poderia ocorrer se ele mudasse o tempo. Quantos sofreriam ou até morreriam? Eles conseguiriam deter o Anti-Monitor, se a cadeia de eventos se alterasse?

E um outro detalhe: mesmo percebendo que a visita da Legião poderia significar que seu fim estava próximo (ele estava cercado, lembram-se?), ele em momento algum pensou em si mesmo. Procurando salvar-se ou mudar o destino de Kara...

ISTO mostra quão humano o Super Homem é! Ele demonstra uma característica humana, rara talvez, mas existente: o ALTRUÍSMO. Esta atitude mostra porque ele é o maior herói para muitos fãs.

E a cena final da revista mostra toda a humanidade do herói, quando após sua prima e a Legião partir, ele chora na companhia de seu fiel cachorro Krypto....



Nenhum comentário

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.