Papo de Cinema | OS 10 MANDAMENTOS (1956)

 

Neste PAPO DE CINEMA vamos trazer a MEMÓRIA um campeão de bilheteria, um épico de sucesso, um grandioso filme eternizado pela qualidade e grandiosidade de sua produção. Um filme bíblico, que apesar de ser da década de 50, ainda hoje é reconhecido, principalmente pelos cristãos, como uma obra bastante fiel as escrituras sagradas. OS 10 MANDAMENTOS dirigido pelo cineasta Cecil B. DeMille é o tema deste nosso modesto post. Não perca esta oportunidade e avance para conhecer algumas divertidas curiosidades sobre esta preciosidade nostálgica. Boa Leitura!

SINOPSE: Depois de tomar conhecimento da profecia que previa a criação de um libertador entre os escravos hebreus, o faraó Ramsès I do Egito manda matar todos os homens recém-nascidos de mãe judia. Yochabel, no entanto, consegue salvar o seu filho, abandonando-o dentro de uma cesta nas águas do Nilo. Encontrado por Bithiah, a filha do faraó, Moisés é criado como um príncipe. Porém, assim que descobre sua verdadeira origem, dedica.se a libertar o povo de lsrael da escravidão, para conduzi-lo à Terra Prometida.

A Trama em si é uma narrativa romanceada do texto bíblico sobre a saga do povo Hebreu que viveu cativo por mais de 400 anos no Egito esperando pelo libertador que os conduziria até Canaã, a Terra Prometida por Deus. 


Título Original: The Ten Commandments
Data de lançamento: 8 de novembro de 1956 (Estados Unidos)
Gênero: Bíblico, Épico, Drama
Duração: 3h42min
Direção/Produção: Cecil B. DeMille
Roteiro: Aeneas MacKenzie, Jesse L. Lasky Jr., Jack Gariss e Fredric M. Frank, baseado nos romances Prince of Egypt, de Dorothy Clarke Wilson, Pillar of fire, do Rev. J.H. lngraham, e 0n Eagle`s Wings, do Rev. G.E. Southon, adaptado do texto bíblico.
Fotografia: Loyal Griggs
Montagem: Anne Bauchens
Guarda-Roupa: Edith Head, Charles Davies e outros
Maquiagem: Wally Westmore, Frank McCoy, Frank Westmore
Efeitos Sonoros: Harry Lindgren, Gene Garvin, Louis Mesenkop
Efeitos Especiais: William Sapp, Charles Davies e outros
Efeitos Visuais: Farciot Edouart, John P. Fulton
Direção de arte: Hal Pereira, Waller Tyler e Albeñ Nozaki.
Figurino: Edilh Head, Ralph Lesler e John Jensen.
Elenco: Charlton Heston (Moisés), Yul Bryner (Ramsés II), Anne Baxter (Nefertiti), Edward G. Robinson (Dathan), Yvonne De Carlo (Séfora), Debra Paget (Lilia), John Derek (Josué), Sir Cedric Hardwicke (Sethi), Nina Foch (Bithiah), Martha Scott (Yochabel), Judilh Anderson (Memmel), Vincent Price (Baka), John Carradine (Abrão)
Efeitos especiais: John P. Fullon.
Música: Elmer Bemslein
Produção: H. Wilcoxon e Cecil B. DeMille, para Paramount . 
Distribuição em video: CIC
Orçamento: US$ 13,27 milhões
Bilheteria: US$ 122,7 milhões (lançamento inicial)


CURIOSIDADES: 
  • Em 1923, o cineasta Cecil.B.de.Mille lançou nos cinemas Os Dez Mandamentos. Produzido numa versão muda, foi um grande sucesso de crítica e bilheteria. No ano de 1951, após terminar as filmagens de O Maior Espetáculo Da Terra (1952), o diretor decidiu que seu próximo filme seria a maior produção cinematográfica de todos os tempos. Em 1956, chegava, portanto, aos cinemas o remake de Os Dez Mandamentos.
  • Mais de 1.200 storyboards foram feitos na pré-produção, o script tinha 308 páginas, algo inédito para a época e havia mais de 70 personagens (com falas) diferentes.
  • Além de ser o protagonista, Charlton Heston dublou a voz de Deus no filme. O próprio artista optou por isso. Com suas próprias palavras declarou: “se alguém ouve a voz de Deus, essa voz vem de dentro, por isso eu gostaria de fazer a voz de Deus”.
  • Os Dez Mandamentos foi o filme de maior bilheteria de 1956 e o segundo filme de maior sucesso da década. Em abril de 1957, o filme tinha arrecadado US $ 10 milhões sem precedentes em contratos em apenas oitenta cinemas, uma média de cerca de US $ 1 milhão por semana, com mais de sete milhões de pessoas pagando para assisti-lo. Durante seu lançamento inicial, ele ganhou aluguel de cinemas (a parte do distribuidor na bilheteria bruta) de $ 31,3 milhões na América do Norte e $ 23,9 milhões no mercado externo, por um total de $ 55,2 milhões (equivalente a aproximadamente $ 122,7 milhões em vendas de ingressos). Foi extremamente lucrativo para sua época, gerando um lucro líquido de $ 18.500.000, contra um orçamento de produção de $ 13,27 milhões (o máximo que um filme custou até aquele ponto). 
  • Em 1999, o filme foi selecionado para preservação no Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos pela Biblioteca do Congresso como sendo "culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo". 
  • Em junho de 2008, o American Film Institute revelou seus " Ten Top Ten " - os dez melhores filmes em dez gêneros cinematográficos americanos - após uma pesquisa com mais de 1.500 pessoas da comunidade criativa. O filme foi listado como o décimo melhor filme do gênero épico. 
  • DeMille e sua equipe fez um estrondoso trabalho de estudo e pesquisa para a elevação desta obra cinematográfica, pois foram analisados 1.900 livros, colecionando 3.000 fotos, além de pesquisas em mais de 30 bibliotecas nos Estados Unidos, Europa, África e Austrália. DeMille ainda visitou o Vaticano para algumas pesquisas e avistou a famosa estátua de Moisés, de autoria de Michelangelo. Ele viu uma ligeira semelhança entre a famosa escultura renascentista com a fisionomia do ator Charlton Heston
  • O roteiro final das filmagens foi escrito por Aeneas MacKenzie , Jesse L. Lasky Jr. , Jack Gariss e Fredric M. Frank . Também continha material dos livros Prince of Egypt, de Dorothy Clarke Wilson , Pillar of Fire, de Joseph Holt Ingraham , e On Eagle's Wings, de Arthur Eustace Southon . Henry Noerdlinger, o pesquisador do filme, consultou textos históricos antigos, como o Midrash Rabbah , Philo 's Life of Moses e os escritos de Josephus e Eusebius para "preencher" os anos que faltavam na vida de Moisés, e como os do filme o último cartão de título de abertura afirma, "as Sagradas Escrituras". 
  • Charlton Heston , que já havia trabalhado com DeMille em O Maior Espetáculo da Terra , ganhou o papel de Moisés depois de impressionar DeMille (em sua audição) com seu conhecimento do antigo Egito . William Boyd , a primeira escolha de DeMille para fazer o teste para ser Moisés no filme, recusou o papel.
  • O filho recém-nascido de Charlton Heston: Fraser Clark Heston (nascido em 12 de fevereiro de 1955), foi escalado por DeMille (por sugestão de Henry Wilcoxon) para ser o bebê Moisés. A criança tinha três meses durante as filmagens. 
  • O Longa foi rodado no Egito e em estúdios de Paris e Hollywood, a também no México, as filmagens começaram em outubro de 1954 no Sinai e a montagem consumiu nove meses. Só um ano foi à preparação do roteiro, escrito a seis mãos. O fotógrafo Lloyal Griggs (1906-1978), o mesmo de Shane (Os Brutos Também Amam, de George Stevens, 1953), movimentou quatro câmeras Panavision frente a doze mil extras para a sequência do Êxodo. Além disso, foram usados doze estúdios em Paris e outros dezoito em Hollywood antes que todo filme rodado ainda ficasse nove meses nas salas de montagem até que pudesse estrear, enfim, a 5 de outubro de 1956, nos Estados Unidos.
  • O diretor Cecil B. DeMille: foi um dos fundadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas; é um dos pioneiros do cinema americano; produziu 70 filmes de 1913 a 1956. Cecil B. DeMille sofreu um ataque cardíaco durante as filmagens de Os Dez Mandamentos. O diretor ficou alguns dias afastados dos sets de filmagens, mas logo retornou ao trabalho, contrariando as ordens dos médicos. DeMille morreria a 21 de janeiro de 1959, aos 77 anos de idade, sendo OS DEZ MANDAMENTOS sua última obra.
  • Para criar no filme o efeito da tempestade de areia, o diretor Cecil B. DeMille pediu emprestado a Força Aérea Egípcia uma máquina especial, destinada a criar ventanias.
  • No Brasil, OS DEZ MANDAMENTOS ficou "em cartaz" por quase 20 anos seguidos em salas de cinema por todo o Brasil (estreou no Brasil a 4 de janeiro de 1957 e ainda em 1983 foi exibido no extinto Cine Vitória, no centro do Rio de janeiro), sempre em reprises nas épocas de Semana Santa, Páscoa ou Natal.

PRÊMIOS
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA
  • Oscar de Melhores Efeitos Especiais (John P. Fulton)
Fotogramas de Plata, Madrid, Espanha
  • Fotogramas de Plata de Melhor Ator Estrangeiro (Charlton Heston)
Prêmios Photoplay, Estados Unidos
  • Prêmio Especial (Cecil B. DeMille)
INDICAÇÕES
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA
  • Oscar de Melhor Filme (Cecil B. DeMille)
  • Oscar de Melhor Edição (Anne Bauchens)
  • Oscar de Melhor Figurino a cores (Edith Head, Ralph Jester, John Jensen, Dorothy Jeakins, Arnold Friberg)
  • Oscar de Melhor Gravação de Som (Loren L. Ryder)
  • Oscar de Melhor Fotografia a Cores (Loyal Griggs)
  • Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Hal Pereira, Walter H. Tyler, Albert Nozaki, Sam Comer, Ray Moyer)
Prêmios Globo de Ouro, EUA
  • Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Charlton Heston)
Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA
  • Prêmio de Melhor Ator (Yul Brynner)
BÔNUS: Bastar clicar no link abaixo para baixar o filme.

Nenhum comentário

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.