Conversa de Cinema: WATERWORLD - O SEGREDO DAS ÁGUAS (1995)


Waterworld - O Segredo das Águas se não fosse por seu elevado custo de produção (US$ 175 milhões), poderia ser lembrado agora como um TRASH MOVIE, no sentido negativo da expressão. Muitos dirão que não deixou saudades e que não há problemas em esquecê-lo. Bem, talvez por ter mal gosto ou por não entender tanto assim de cinema, confesso que gosto deste filme. Não sou super fã, admito. Mas, ainda hoje o acho uma boa "sessão da tarde".

SINOPSE: Em meados do terceiro milênio, em razão do derretimento das calotas polares, a Terra se tornou um lugar sem terra sólida e a população vive em barcos ou em ilhas artificiais. Neste contexto, um ser anfíbio (Kevin Costner) vive comercializando tudo que é possível, inclusive terra pura e, após ser preso injustamente, é libertado por uma comerciante (Jeanne Tripplehorn) que exige que ele a leve embora e junto com eles uma garota (Tina Majorino), que tem nas costas o mapa para se chegar a Terraseca, o único local com terra firme. Mas o chefe (Dennis Hopper) de uma gangue resolve persegui-los, pois também deseja encontrar este local.

Apesar de ser uma "superprodução fraca" e de ter sido um grande fracasso cinematográfico nas bilheterias e das inúmeras críticas em seu lançamento, e mesmo hoje 23 anos depois. O vejo como um filme mal compreendido. Pois a ideia é interessante e a história também é boa. Acredito que o problema é o ritmo lento do filme. Afinal, fora isso, as cenas de ação são fantásticas. assim como a trilha sonora. 

"Waterworld" trás também uma característica muito própria. Pois apesar de ter sido dirigido por Kevin Reynolds foi Kevin Costner o responsável pelos erros e acertos do filme. Foi ele quem escolheu a história, atacou de produtor, estrelou o filme e impôs o altíssimo orçamento.
Como ator, depois de ter sido o bom moço em "Dança com Lobos" e de se imortalizar como o guarda-costas de Whitney Houston, ele decidiu ousar ao interpretar "Mariner, o homem-anfíbio" que foge superficialmente dos papéis que até então havia feito. Ele é uma espécie de super-herói (anti-herói?) mal-humorado (Costner interpreta um mutante  que pode respirar de baixo d’água e que navega o oceano solitariamente em seu barco). Para algumas pessoas que gostaram das cenas de ação, cheio de perseguições com jet skis e explosões, notaram as referências aos quadrinhos. Para esses, o futurista "Waterworld" equivale a uma moderna e mais ambiciosa versão da série "Mad Max". Costner fez tudo o que quis da forma que quis. Ele assumiu os créditos de "Waterworld" e, portanto, seu sucesso ou fracasso. 

Na contagem final das bilheterias, "Waterworld" ficou em quarto lugar em arrecadação na temporada do verão americano, perdendo para produções relevantes, como "Batman Eternamente" e "Apollo 13".
“Waterworld: O Segredo das Águas” não chegou a dar prejuízo no final das contas. O orçamento da produção estourou durante as filmagens e chegou a 175 milhões de dólares. Uma quantia astronômica na época. Acabou tendo um retorno de 264 milhões, considerado muito pouco em comparação com o custo.

CURIOSIDADES
  • O diretor, Kevin Reynolds, abandonou o projeto duas semanas antes de seu término e Costner assumiu sua função. Por isso, muitos o citam erroneamente como diretor do filme. 
  • Há quem considere este longa como o responsável por arruinar a carreira do ator Kevin Costner..
  • Boatos afirmam que Steven Spielberg teria aconselhado Costner a não produzir o longa, alertando-o para as dificuldades de se filmar sobre as águas, enfatizando o quão difícil havia sido filmar “Tubarão” 20 anos antes. 
  • Durante as filmagens, uma terrível tempestade destruiu o set da “colônia de escravos”, trazendo terrível prejuízo material, atrasando a produção em meses e culminando no já citado abandono da empreita pelo diretor Kevin Reynolds.
Pra encerrar digo que o filme é digno de ser visto e é, sem dúvidas uma boa diversão. Afinal tem uma ótima fotografia, a história é boa, não é tedioso e os efeitos especiais são bons, levando-se em conta a época. Dennis Hopper. está muito bem no papel de um vilão messiânico, que arrasta hordas de bárbaros atrás de si em troca da promessa da sonhada “terra firme”. As cenas sob o oceano durante os mergulhos do personagem Mariner, também são ótimas. E a ambientação muito caprichada e detalhada.

Agradeço aos colaboradores: Aldo Leal Barreto e Rocklex Santos


Gostou da postagem?

Então junte-se a nós! Curta nosso blognossa página e nosso grupo

Junte-se a família "Memória Magazine", inteiramente dedicada a relembrar coisas boas e curiosas do passado. Ajudando alguns a reviverem boas lembranças e outros a conhecer a origem do que se ve hoje nos quadrinhos, nas animações e nos filmes..

2 comentários:

  1. Gostei da sugestão!me sinto motivada a assisti-lo!Desafiador!Corajoso!Kevin Costner!levar este projeto!grandioso!Vale a pena conhecer este trabalho!Ótima Matéria !pesquisa!Ney e equipe Top!Brigaduh!Memória!Yurruh!Domingão de qualidade!Beijão!😁😀😉😎😘😍

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Cleide! Fico feliz que tenha gostado.

    ResponderExcluir

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.