Falando em Série: MAVERICK (1957/1962)


Maverick foi uma série de televisão estilo faroeste, mas com toques cômicos que esteve no ar, nos EUA de 1957 a 1962 pelo canal ABC, produzido pela Warner Bros. e estrelado por James Garner como Bret Maverick, um trapaceiro, canastrão só que do bem. Ao todo foram 124 episódios (de 60 minutos cada) distribuídos em 5 temporadas.


Inegavelmente foi uma série de grande sucesso, Maverick deixava de lado o estilo épico dos westerns tradicionais e investia mais no humor. A série escrita por Roy Huggins, trazia um dos primeiros anti-heróis da televisão chocando os telespectadores dos anos 50, mas o vislumbrante preto lustroso e o carisma sem igual de Garner, minimizaram esses efeitos negativos. James Garner era o único Maverick presente durante os primeiros sete episódios e assim se tornou uma celebridade nacional nos Estados Unidos. 

James Garner interpretava Bret Maverick, um jogador aventureiro que vagava pelo velho oeste. Ele protagonizou a série entre 1957 até 1960. E, ainda hoje os críticos acreditam que poucos atores conseguiriam fazer as sutis expressões faciais que Garner fazia. 
Supostamente, Garner seria o único Maverick, mas o estúdio contratou Jack Kelly para interpretar seu irmão Bart, lá pelo oitavo episódio. Os produtores perceberam, devido aos atrasos nas filmagens, que a entrada de mais um parceiro, poderia ajudar na produção de episódios independentes, com situações separadas e ocasionalmente os dois aparecendo juntos. Com isso, eles criaram duas equipes – uma que filmava episódios com Garner e outra com Kelly. De vez em quando, os dois apareciam juntos.
O criador da série Roy Huggins inverteu os habituais papéis de vaqueiros criando um herói com belo terno preto, que na época era reservado aos vilões. 
Bret Maverick, normalmente usava um chapéu de vaqueiro preto, enquanto Bart usava um tom mais cinza, mas ambos usavam roupas pretas ou jaquetas cinzentas quando iam jogar nos saloons. Garner sempre gerou mais atenção do público e da mídia e Kelly era mais visto como apenas o irmão de Bret, um simpático figurante.


Inicialmente os produtores queriam fazer de Bart Maverick uma espécie de clone do irmão Bret, vestindo de modo semelhante e até falando quase parecido, ficando a única diferença no modo de cada ator tocar seu personagem. Nenhuma personalidade foi separada e os Mavericks provinham seu caráter pessoal, principalmente com a mudança do elenco durante os anos. O presidente da Kaiser Aluminum, que era patrocinadora da série na ocasião, não gostou de ver Jack Kelly dividindo a série com Garner e a ABC teve que cortar o patrocínio, o que lhe valeu a perda de uma grande fortuna.
Estranhamente, Jack Kelly manteve o mesmo tipo durante os três primeiros episódios da série. Faltava a Kelly aquele toque de comédia que Garner possuía, juntamente com suas famosas expressões faciais, o que deu origem ao mito que Bart era seu irmão mais sério. Desde então os roteiros foram escritos com um tom mais sério para Kelly, enquanto Garner provavelmente gostasse de fato de roteiros ligeiramente mais humorísticos. 
Isso fez com que a série ficasse conhecida como Maverick 1 e Maverick 2, e é claro que Garner levava uma tremenda vantagem. Garner e Kelly provaram constituir um verdadeiro time e os episódios de ambos tinham boa audiência. Os críticos frequentemente citavam a existência de uma química elétrica entre os irmãos Maverick, o que era extraordinário de se ver. 
Bret e Bar geralmente competiam entre si as belas mulheres ou dinheiro, ou então trabalhavam juntos em algum esquema, previamente elaborado, em cima de alguém que tivesse roubado de um deles. A dúvida maior dos espectadores era saber quem era o irmão mais velho, pois Bret e Bart reivindicavam enfaticamente um ser mais jovem que o outro, apesar de Jack Kelly ser um ano mais velho que James Garner na realidade.
Durante as primeiras temporadas, as avaliações de Kelly eram ligeiramente mais altas que Garner, mas a diferença ficava somente dentro da margem de erro, mas depois que o escritor e produtor Roy Huggins deixou o espetáculo, houve um declínio gradual da série e os espetáculos de Garner passaram a dar mais audiência. 

Periodicamente eram inclusos personagens de apoio como de Efren Zimbalist Jr. como o vigarista Buckley entre 1957 a 1958, Diane Brewster como Samantha Crawford entre 1957 a 1958, Richard Long como o cavalheiro Jack Darby, que entrou no lugar de Zimbalist, que teve de sair para fazer 77 Sunset Strip. Muitos outros artistas participaram da série temporariamente.

Mais tarde, Roger Moore, também foi integrado ao elenco interpretando um primo inglês, chamado Beau Maverick, que permaneceu entre 1960 a 1961. Beau usava geralmente um terno cinzento e também um chapéu de vaqueiro cinza claro e ele tinha uma leve sotaque inglês, o que não era de estranhar, afinal Roger Moore é inglês de fato. 
Moore tinha a mesma idade de Jack Kelly e trouxe o seu talento para a comédia e até uma leve semelhança física com Garner fez com ele se adequasse perfeitamente. Os críticos mencionaram na época, que ninguém via qualquer problema no sotaque britânico de Moore e que ele conseguia convencer que era realmente um Maverick.
Quando Garner deixou a série, em 1961, Robert Colbert (o Dr. Doug Phillips do seriado Túnel do Tempo) foi contratado para interpretar o novo irmão Brent – que faria parceria com Bart. 
James Garner apareceu em 52 episódios da série, Jack Kelly em 75 e Roger Moore somente em 15. Moore interpretou o papel sem cortejar o modo de Garner, mas Moore insistia para que ele tivesse o mesmo roteiro soberbo que Garner desfrutara durante as primeiras duas temporadas. 
Tanto isso é verdadeiro que alguns episódios de Moore são bastante bons, particularmente um episódio escrito e dirigido por Robert Altman, o que lhe valeu elogios da crítica. Bart e Beau Maverick faziam uma boa combinação, interessante de assistir, mas num esforço para aumentar as avaliações, foi lançado um outro irmão chamado Brent Maverick que foi interpretado por Robert Colbert, vestido de forma igual a Garner. 
O estúdio queria ao mesmo tempo, Kelly, Moore e Colbert, mas Roger Moore deixou o espetáculo logo depois de dois episódios de Colbert em 1961. No final da temporada de 1962, o estúdio retirou Colbert e passou a alternar episódios de Kelly novos, com as reprises de Garner antes do cancelamento da série, fazendo com que os espectadores pudessem sentir o declínio da qualidade dos novos roteiros. 



Alguns dos episódios da série, como “War of the Silver Kings”, foram baseados na obra de C.B.Glasscok´s “The War of the Cooper Kings” que relacionavam aventuras reais que ocorreram nas minas de cobre F.Augustus Heinze. Vários incidentes mostrados no episódios realmente aconteceram, inclusive o juiz bêbado e as cenas dramáticas nas ruas contra os mineiros enraivecidos.

Bret Maverick frequentemente tinha como adversários sujeitos inescrupulosos, mas somente os criminosos de fato mereceram um fim indesejável. 

Maverick também resistiu a tendência dos mocinhos rápidos no gatilho. Maverick era rápido, mas não era muito dado a essas façanhas, entretanto não deixava de lado as brigas, socos e pontapés. 
Em termos de roteiro, Huggins sabia amarrar sabiamente Bart e dele gerar a simpatia da audiência. A ideia inicial era fazer de Bart Maverick, mais ou menos um clone do irmão Bret, vestindo de modo semelhante e até falando quase parecido, ficando a única diferença no modo de cada ator tocar seu personagem. 
Nenhuma personalidade foi separada e os Mavericks provinham seu caráter pessoal, principalmente com a mudança do elenco durante os anos, os nomes mudavam, mas as habilidades no pôquer e todos os outros atributos permaneciam os mesmos, com exceção de atores diferentes interpretando Bret Maverick.
Muitos episódios tem o tom com bastante humor, enquanto que outros eram mortalmente sérios. Isso acontecia porque o produtor Roy Huggins utilizava trabalhos de escritores bem discrepantes como Louis Lamour e Robert Louis Stevenson, para dar uma amplitude mais surpreendente a série. Os irmãos Maverick nunca deixavam de viajar, apesar do espetáculo geralmente ser fixada perto de uma área portuária ou em New Orleans, mas também havia cenas no deserto e num saloon de fronteira.

Outros atores convidados também participaram da série, isso incluíam Rod Taylor e Stuart Whitman, que mais tarde interpretou o Marechal Jim Crown numa outra série de televisão chamada Cimarron Strip e era muito parecido com o personagem de Garner em 1957.


A História.

Bret Maverick era um bem vestido apostador, com grande habilidade manuseando um revólver, que viajava de cidade em cidade em busca de um bom jogo de pôquer, sempre acompanhado do seu whisky e cigarro.
Ao lado de seu irmão Bart (Jack Kelly) e seu primo inglês Beau, ele sempre arrumava maneiras difíceis, perigosas e divertidas de ganhar dinheiro. Quando chegava em algum lugar, poucos diziam que Maverick era um pistoleiro devido à elegância que ele demonstrava, pois mais parecia um homem de negócios ou um rico fazendeiro. 
O herói enfrentava sujeitos de todos os tipos, mas apenas os criminosos recebiam tiros dele. Maverick era rápido no gatilho mas não gostava muito de sair atirando, ele preferia resolver seus problemas na base do corpo a corpo.

Outras Versões.
Em 1978 um telefime chamado: "The New Maverick" chegou a ser produzido, com James Garner, reprisando Jack Kelly como os irmãos Maverick, juntamente com Charles Frank que interpretava o primo Ben Maverick. Jack Kelly somente apareceu em algumas cenas perto do final do filme. 

Em 1979 houve uma tentativa para reviver a série. O resultado foi decepcionante e o programa foi cancelado depois de apenas uma temporada. A nova série chamada Young Maverick foi produzida, estrelada por Charles Frank como Ben Maverick, filho de Beau Maverick. Bret Maverick (James Gardner) apareceu somente em um ou dois instantes no começo do primeiro episódio.

Entre 1981 a 1982 surgiu uma outra série chamada Bret Maverick com James Garner bem mais velho fazendo novamente Bret Maverick. Jack Kelly apareceu como irmão Bart somente em um episódio. A série não obteve uma audiência favorável e também a crítica foi praticamente unânime em afirmar que a série nem de perto se assemelhava ao clássico original.

Maverick chegou aos cinemas em 1994 pelas mãos do diretor Richard Donner ,com Mel Gibson no papel título, como Bret Maverick, e Jodie Foster como a bela sulista. No filme, Bret Maverick é um jogador esperto, charmoso e trapaceiro que se dirige a localidade de All River´s para participar de um dos mais importantes campeonatos de pôquer do país. Maverick tenta arrumar os três mil dólares que lhe faltam para participar de um jogo milionário em uma barca do Mississipi, no qual o vencedor vai receber meio milhão de dólares. Mas antes de chegar ao seu destino, uma série de incidentes, muitas vezes provocado por mulheres, põem em perigo seu sonho e sua integridade. 
Neste filme, Garner interpretou o Xerife Zane Cooper, o nome era uma mistura de Zane Grey com Gary Cooper, ambas figuras fortes da história do Oeste americano, e mostrou que ainda é capaz de roubar qualquer cena. 


O herói do faroeste teve ainda uma série de gibis lançada pela Dell Comics (que também publicou versões quadrinizadas de outros westerns da TV, como Gunsmoke, Bat Masterson, Zorro e Rawhide).

________________________________________
O seriado chegou ao Brasil através da TV Paulista em novembro de 1961, sendo exibido às 21h. Já no ano seguinte o público brasileiro também pode ver a série em outros estados através da TV Rio e suas afiliadas. A série ficou no ar até 1965.
Em 1966 estreou na TV Excelsior, onde aos domingos era apresentado no horário das 13h20. Já em 1969 passou a ser exibida na TV Record até o ano seguinte.

Contribuição do amigo: Felipe Aguiar Moitinho

Gostou da postagem?
Então junte-se a nós! Curta nosso blognossa página e nosso grupo
Junte-se a família "Memória Magazine", inteiramente dedicada a relembrar coisas boas e curiosas do passado. Ajudando alguns a reviverem boas lembranças e outros a conhecer a origem do que se ve hoje nos quadrinhos, nas animações e nos filmes...



Nenhum comentário

Imagens de tema por graphixel. Tecnologia do Blogger.